29º Domingo do Tempo Comum (Ano A)

Padre Sebastião Ananias Lino
Paróquia São Sebastião
Oliveira
– MG

28dtc_a.jpg

Jesus e a moeda do Imperador

A liturgia da Palavra deste domingo traz como tema central a afirmação de Deus como único Senhor da história e da vida de cada pessoa. O profeta Isaías nos diz que Deus usa o Rei da Pérsia, Ciro, como instrumento de libertação do povo israelita exilado na Babilônia. Para mostrar que Deus é acima de todos os reis e é Ele que realmente liberta seu povo, se servindo de um rei estrangeiro. Por isso, o profeta descreve a missão de Ciro com as mesmas características esperadas de um descendente de Davi, acentuando as funções político-militares e até lhe atribuindo o título de ungido.

A mensagem do profeta termina revertendo o clima de desconfiança; a escolha de um libertador estrangeiro é uma demonstração da soberania de Deus sobre toda a terra e não apenas sobre um pequeno povo. Para realizar seus projetos, o Senhor utiliza como instrumentos pessoas que nem sabem que estão sob seu domínio, como Ciro não sabia. O retorno do povo de Israel para sua terra é sinônimo de felicidade plena. Assim o profeta recorda que Deus quer somente o bem para seu povo e para toda a humanidade.

O apóstolo Paulo na segunda leitura elogia os Tessalonicenses por praticarem as 3 virtudes teologais da fé, esperança e caridade e por se deixarem conduzir pelo Espírito Santo. Cada legionário deve se esforçar por viver heroicamente as virtudes e ter a plena convicção de que é o Divino Espírito Santo que guia nossos passos e orienta nosso apostolado.

No Evangelho, Jesus é colocado à prova, mas escapa com muita sabedoria da armadilha sobre se era permitido ou não pagar o imposto a César. A resposta de Jesus é uma reflexão profunda: dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. O verbo usado significa devolver, restituir. Além da moeda com a imagem de César, deve ser-lhe devolvida a mentalidade imperial que estava sendo imposta e assimilada pelas pessoas, tornando-as escravas. Jesus acrescenta na sua resposta um elemento importante, a relação com Deus e a necessidade de devolver o que lhe pertence. A moeda de Deus é o ser humano; é este que tem a imagem e semelhança de Deus gravada em seu rosto. De tal sorte que devolver a Deus o ser humano é restituir a cada homem e a cada mulher sua dignidade original e inalienável. É tarefa de cada legionário levar as pessoas a ter consciência de sua pertença a Deus e não compactuar com nenhum sistema injusto e corrupto que escravize e roube sua dignidade. Como cidadãos temos obrigações para com Estado, mas não podemos esquecer que Deus está no centro de nossa vida, pois nos criou à sua imagem e semelhança. As pessoas devem ver em nós o rosto de Cristo. Devemos entregar a Deus a nossa vida a cada dia. Peçamos a intercessão da Virgem Maria, Senhora das Graças, para colocarmos em prática a Palavra de Deus e nos colocarmos em missão, pois a vida é missão. Eis-me aqui, envia-me.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!